GCMV ministra curso sobre pistola Spark para a GCM de Boa Esperança



A Guarda Civil Municipal de Varginha, por meio de seu comandante Gerson Alves da Trindade, ministrou, na última semana, um curso sobre uso e manuseio de pistola Spark para a Guarda Civil Municipal de Boa Esperança. Ao todo, 12 agentes foram treinados e capacitados para utilizar o armamento de condutividade elétrica.

Entre aulas teóricas e práticas, compuseram a ementa do curso legislações atualizadas sobre o tema, conceitos e classificações de armamentos não letais, uso proporcional e seletivo da força, descontaminação e primeiros socorros, em caso de utilização da arma, além do emprego tático do equipamento Z 2.0.



O curso teve um total de 16 horas, sendo realizado no Centro Vocacional Tecnológico de Boa Esperança. O treinamento foi organizado pelo Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da GCMV, e coordenado pela subinspetora Gislaine Moreira e pela GCM Anelize Benfica.


Varginha está entre os municípios menos violentos do país, aponta estudo do Ipea




Varginha é um dos três municípios de Minas Gerais entre os 20 do país com a menor taxa de homicídios por 100 mil habitantes. O município está na 18ª posição, com taxa de 8,3, Araxá ficou na 12ª posição (7,9) e Passos ocupa a 7ª posição (7,2). Foi analisado o nível de violência em 310 cidades brasileiras médias e grandes.

Os dados são do Atlas da Violência 2019, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, com referência ao ano de 2017. O estudo considera o número de óbitos por agressão, mais o número de óbitos ocasionados por intervenção legal, mais o número de homicídios ocultos. A divulgação da pesquisa ocorreu no dia 5 de agosto.

A pesquisa mostra que a violência pode estar relacionada a outras políticas públicas. “O fato é que, antes da violência e da morte prematura de jovens nos territórios mais violentos, já houve inúmeras mortes simbólicas, uma vez que uma parcela da sociedade residente nesses locais não teve acesso a condições de desenvolvimento infantil, a oportunidades educacionais e ao mercado de trabalho na juventude, nem a bens culturais e materiais, parte do ideal de sucesso nas modernas economias de mercado”.



O resultado do estudo deixou o prefeito Antônio Silva satisfeito. “Uma notícia como esta, em um momento em que a segurança pública passa a ter prioridades junto a Educação e Saúde, nos deixa muito feliz. Varginha é uma cidade bem estruturada, que tem uma política social eficiente e onde os órgãos ligados à segurança pública realmente fazem a sua parte. Temos a Polícia Civil, a Policia Militar, a Policia Federal e a nossa Guarda Civil Municipal atuantes, e isso certamente contribuiu para que este índice fosse alcançado. Trata-se de um ranking que nos orgulha”, disse.

Ipea
Fundação pública vinculada ao Ministério da Economia, o Ipea fornece suporte técnico e institucional às ações governamentais – possibilitando a formulação de inúmeras políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros – e disponibiliza, para a sociedade, pesquisas e estudos realizados por seus técnicos.

Fonte: Asscom Prefeitura

Com efetivo reforçado, GCMV presta apoio à comitiva do vice-presidente Hamilton Mourão




A Guarda Civil Municipal de Varginha prestou, na manhã de sábado (10/8), um importante apoio de segurança, controle de tráfego e escolta para a comitiva do vice-presidente da República, General Hamilton Mourão, que veio à região para participar de uma cerimônia na Escola de Sargentos das Armas (ESA), em Três Corações.

O vice-presidente da República chegou a Varginha pela manhã em um avião da Força Aérea Brasileira. Do aeroporto, Mourão seguiu direto para a ESA, onde participou da cerimônia da entrega do Sabre Max Wolf Filho. Em todo o trajeto de ida e de volta, do aeroporto até a ESA, o efetivo reforçado da Guarda Civil Municipal de Varginha se fez presente.



Durante a cerimônia na ESA, mais de 580 alunos da ESA e da Escola de Instrução de Avião de Taubaté, no interior de São Paulo, também receberam o uniforme histórico que é uma réplica das roupas usadas por soldados brasileiros na Fortaleza de São João, no fim do Século 19. Após o fim da cerimônia, o vice-presidente retornou a Varginha, de onde embarcou para Brasília (DF).

GCMV intensifica fiscalização contra o uso de cerol e linha chilena em Varginha


A Guarda Civil Municipal intensificou a fiscalização contra venda e uso de cerol e linha chilena em Varginha. Isso porque durante os meses de julho e agosto, em razão de férias escolares e dos fortes ventos, aumenta o número de crianças e adolescentes que brincam de pipa, e consequentemente, o número de apreensões de linhas chilenas ou com cerol.

Vale ressaltar que a venda desse tipo de linha é proibida no município, pela lei n° 5.753/2013, e no estado, pela lei n° 14.349/2002. No caso de comércios que vendem esse tipo de material, quem faz a fiscalização é o Setor de Posturas da Prefeitura, As denúncias podem ser feitas pelo telefone 3222-9258.



A Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar não tem a atribuição de fiscalizar comércios que vendem esse tipo de linha. Porém, nas ruas ou em qualquer outro lugar, por meio de denúncias ou durante patrulhamento, a GCMV e a PM pode apreender as linhas, o menor pode ser apreendido e, em caso de maior de idade, pode ser preso. Denúncias podem ser feitas pelo 153 e 190.

Risco de acidentes
O uso de cerol e linha chilena pode feriar gravemente, principalmente pedestres e motociclistas, mas também quem faz uso dos mesmos. Muitas campanhas de conscientização vêm sendo feitas para evitar estes casos.

No dia 22 de julho, um adolescente de 13 anos ficou ferido, no bairro Vila Barcelona, após ser atingido por uma linha chilena. Segundo o Corpo de Bombeiros, o menino caminhava com o pai no passeio, quando ao passar próximo à Escola Camilo Tavares, foi surpreendido por uma linha chilena, que ficou esticada após se enroscar na catraca de uma motocicleta.

Ainda conforme os bombeiros, a linha cortou as duas pernas do menino. Um enfermeiro que passava pelo local fez um primeiro curativo no adolescente, antes da chegada dos bombeiros. Um menino de 11 anos foi identificado como o dono da linha. A Polícia Militar foi acionada no local. A vítima foi levada pelo Corpo de Bombeiros para o Pronto Atendimento.



Apreensões
Na segunda-feira (22/7), linhas chilenas e com cerol foram apreendidas em uma praça no bairro Bouganville, após denúncias anônimas. A Guarda Civil Municipal compareceu ao local e encontrou as linhas no chão, mas os adolescentes já tinham saído.

Na terça-feira (27/7), mais duas apreensões foram realizadas no bairro Imaculada Conceição, onde um menor ao ver a aproximação das viaturas, correu para dentro de uma casa.

No mesmo dia, na Vila Paiva, uma grande quantidade de linha chilena e cerol foi apreendida pelas equipes da Guarda Civil, também após denúncias anônimas.

No início do mês de julho, agentes da GCMV apreenderam linhas chilenas no Cemitério Municipal. Como acontece da maior parte dos casos, os adolescentes deixaram para trás várias pipas e carretéis, correndo antes da chegada da viatura.

Em apenas uma semana, dois cães são resgatados pela GCM com sinais de maus tratos




A Guarda Civil Municipal de Varginha, em apenas uma semana, resgatou dois cães com sinais visíveis de maus tratos. O primeiro foi no bairro Vila Mendes e o segundo foi em uma casa no bairro Nossa Senhora Aparecida.

Neste segundo caso, após o proprietário autorizar a entrada dos agentes do GMAT – Grupamento de Meio Ambiente, o animal foi levado para a Canil Municipal, onde a veterinária de plantão, constatou o estado crítico do animal.


O setor de Bem Estar Animal irá multar o proprietário. Após recuperado, o cão ficará disponível para adoção responsável.

Queimada irregular derrete fios de energia elétrica; GCM aciona e auxilia Bombeiros




Mais uma vez as queimadas irregulares causam transtornos em Varginha. Na manhã de domingo (14/7), um matagal que fica nas proximidades da Avenida Comendador Manoel Sendas com a Avenida do Contorno, no Parque Mariela, foi alvo de mais uma queimada.

A Guarda Civil Municipal de Varginha foi acionada e uma equipe do GMAT foi até o local. Moradores das proximidades disseram aos agentes que um senhor com sintomas de embriaguez havia passado pelo local e ateado fogo. Após pegarem as características, fizeram rastreamento, mas nenhum suspeito foi preso.



O Corpo de Bombeiros foi acionado, chegou rapidamente e controlou as chamas, que atingiram uma certa altura, derretendo fios de energia elétrica. Comerciantes próximos, já na Avenida do Contorno, ficaram apreensivos com as chamas, que atingiram algumas bananeiras. Mas o foco foi controlado pelos bombeiros.

Vale ressaltar que, de acordo com o Código Penal, artigo 250, a prática de colocar fogo em matas, pastos e terreno ou em outros lugares configura crime. A pena prevista pode ser de 3 a 6 anos, além do pagamento de multa.

Grupamento de Meio Ambiente intensifica fiscalização contra queimadas irregulares




A Guarda Civil Municipal de Varginha, por meio do GMAT - Grupamento de Meio Ambiente vem intensificando a fiscalização de queimadas irregulares em Varginha. Desde o começo da semana, dez registros foram feitos.

A maior parte das queimadas surge porque algumas pessoas aproveitam essa temporada de poucas chuvas e acabam ateando fogo em lotes e matas.



Na tarde desta quarta-feira (11/7), após receber denúncias de que indivíduos haviam colocado fogo em um lote vago no bairro Porto Real, a equipe do GMAT se deslocou para o local, e dois indivíduos, ao ver a viatura, correram para uma mata próxima.

De acordo com o Código Penal, artigo 250, a prática de colocar fogo em matas, pastos e terreno ou em outros lugares configura crime. A pena prevista pode ser de 3 a 6 anos, além do pagamento de multa.

Após ser atendido, homem furta recepcionista de hospital; GCM localiza o autor




Um homem foi conduzido pela Guarda Civil Municipal, na madrugada desta terça-feira (9/7), após cometer um furto no Hospital Bom Pastor. O mesmo havia sido atendido momentos antes no Pronto Atendimento.

Após levar uma facada nas costas, o autor havia sido socorrido pelo Samu e levado ao Hospital Bom Pastor, onde recebeu uma sutura na região lombar. Enquanto aguardava para fazer exame, ele furtou a bolsa de uma recepcionista, pegou a chave do carro da vítima, que estava na bolsa, e ainda tentou furtar uma moto que estava no estacionamento do hospital. Porém, a chave quebrou.

Uma equipe da Guarda Civil Municipal chegou rapidamente ao local e iniciou rastreamento nas proximidades. Na Rua Jacinto Zanateli, bairro Corcetti, os agentes abordaram Richard Martins Alexandre, de 19 anos, que confessou o furto.


A Polícia Militar também havia sido acionada e localizou a bolsa da vítima, com R$ 110,00 em dinheiro. O ladrão acabou sendo levado pela PM para a Delegacia da Polícia Civil.

Enquanto isso, os GCMs faziam buscas pela chave do carro da vítima, localizando-a no estacionamento, quebrada na moto que o ladrão tentou furtar.

Linhas chilenas são apreendidas pela Guarda Civil Municipal em Varginha




Após denúncias pelo telefone 153, a Guarda Civil Municipal de Varginha deslocou até o Cemitério Municipal, na tarde de segunda-feira (8/7), onde adolescentes soltavam pipas com linha contendo cerol.

Ao avistar a presença de equipes da GCMV, vários adolescentes correram, deixando para trás várias pipas e carretéis com linha chilena. Todos os materiais foram apreendidos pelos agentes da Guarda.

Vale ressaltar que a venda desse tipo de linha é proibida no município, pela lei n° 5.753/2013, e no estado, pela lei n° 14.349/2002. No caso de comércios que vendem esse tipo de material, quem faz a fiscalização é o Setor de Posturas da Prefeitura Municipal.

A Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar não tem a atribuição de fiscalizar comércios que vendem esse tipo de linha. Porém, nas ruas ou em qualquer outro lugar, através de denúncias ou durante patrulhamento, a GCMV pode multar quem estiver com linha chilena ou cerol.

Em Minas Gerais, a Lei 14.349, de 2002, prevê multa de até R$1,5 mil para quem usar linha cortante, ficando o infrator sujeito a sanções cíveis e penais. Em caso de prisão, a pena varia de três meses a um ano de prisão, podendo ser agravada. No município a multa varia de R$ 100,00 a R$ 1.000,00.